segunda-feira, 8 de outubro de 2018

Atualização Mensal: Setembro 2018: R$ 587.296,91 (+ R$ 5.000,00) e -25.000,00 Dívidas

Olá, Finansfera

Fechamento do mês de setembro, rápido só para cumprir tabela.

Olha, esse mês estou de parabéns, nunca gastei tanto dinheiro na vida, puta merda. 

Mudei de imóvel, gastei com a reforma e comprei mais uma porrada de coisas. Parcelei tudo em 4 vezes com valor à vista e descontos direto no cartão de crédito (pagamento em setembro, outubro, novembro e dezembro).

Aqui vai aquecedor solar, piscina, aquecedor de piscina etc etc etc

Deve estar indo aí uns R$ 12.000,00 por mês extras além das despesas ordinárias, nem estou controlando muito 😨 

Então somando aporte + dívidas + esses extras, eu teria aportado aí por volta de 40 ~45k.

Amortizei das minhas dívidas mais R$ 25.000,00 e em outubro/novembro/dezembro estou querendo amortizar 50.000,00 / mês, usando parte da reserva alocada aqui no Blog, tentar manter acima dos R$ 500.000,00 e usar o resto.

Por que? Deixar de aportar está me incomodando MUITO.

Só para esclarecer de outras postagens, boa parte dessa dívida é em decorrência da aquisição desse imóvel novo, que não tinha como esperar para comprar ou alugar um outro, posto que a oportunidade foi boa, imóvel de 650 ~700 mil que paguei 450 mil.

Portanto, se fosse somar outros bens no meu patrimônio financeiro (terrenos, carros, apartamentos etc) já passei o 1 milhão.

Mas o que interessa é liquidez, patrimônio financeiro, dividendos, rendimentos, paz. #pas.

Acredito que sem dívidas e quitando logo tudo (por isso vou usar minha reserva), fico parcialmente blindado, com imóvel para o resto da vida e tranquilidade. Só focando nos aportes. Ano que vem vou recalcular, mas sem esse monte de parcelas e pagamentos que estou fazendo, se bobear, vou conseguir aportar 40.000,00 por mês. 

Portanto, a meta pessoal para 2018 foi modificada para focar na dívida, não vou me importar com o financeiro, mas focar na dívida. Quero tentar abrir 2019 com um débito de 150 mil, apenas.
Em janeiro amortizaria 25 mil. Em fevereiro 75 mil e em março/abril o saldo restante. Depois,de maio a dezembro, tento aportar 280 a 360 mil 100% em renda variável, se não acontecer nenhuma cagada no caminho.

Vendi outro empreendimento meu.

Olha só, vendi participação/cotas em hotel que eu tinha no litoral pela bagatela de R$ 1,00. Não conseguia achar comprador, só encheção de saco, então vendi por R$ 1,00. 
Aí depois falam dos riscos de FII. 

FII e ações é paraíso, liquidez fácil, não tem risco nenhum frente a esses rolos de empreendimentos que o jumento humano (eu) entra na vida.

Foda-se. Distanciar de rolos não tem preço.

Comecei a caminhar de novo, vou voltar a correr e estou brincando muito com o filho, aproveitando demais.


APORTES

Aportes Renda Fixa: R$ 0,00
Aportes Renda Variável: R$ 5.000,00
Aportes totais: R$ 5.000,00
Rendimento: - 0,26%
Fechamento: R$ 587.296,91





INCREMENTO PASSIVO E RENDA PASSIVA


Considerando a diferença da evolução patrimonial com o aporte realizado, tive uma perda de -R$1.545,96.

Esse mês recebi R$ 401,46 de renda passiva (FII e Ações, não são computados juros etc da renda fixa), sendo:

- R$ 178,97 de dividendos e JSCP
- R$ 220,43 de rendimentos dos FII






OPERAÇÕES REALIZADAS 


Comprei R$ 4.977,60 em ações e FII.

O resto ficou na corretora, fui tão rápido pra comprar que esqueci dos dividendos e rendimentos para comprar mais ações.
Foi o primeiro mês que não entrei nenhum dia no HomeBroker, exceto no momento da compras. Aliás, desde essa compra, não acompanhei mais nada, cotação, nada. 



COMPRAS AÇÕES



  • 200 CIEL3
  • 300 GRND3


    COMPRAS FIIs

    • 1 FIIB11



    Como sempre, os valores acima estão com custos de liquidação, emolumentos e corretagem.


    Notei que o MFII11 voltou a ser negociado, deu vontade de comprar, mas deixei o ativo em quarentena, não vendi e nem comprei, larga lá.



    COMPOSIÇÃO DOS INVESTIMENTOS (RF e RV): 


    Ignorando a renda fixa, e analisando a carteira de ações isoladamente, esse mês tive uma rentabilidade negativa de 2,61% nos papéis que compõem a carteira




    Na proporção, ficou  79/21 entre RF e RV:


    VALORIZAÇÃO INDIVIDUAL DOS PAPÉIS:



    Esqueci de salvar a imagem da valorização individual dos papéis antes do script rodar e atualizar já pelo mês de outubro, então nem vou postar.



    DÍVIDAS ATUAIS


    - R$ 330.000,00








    EXTRAS


    Recebi um SMS e minha conta mudou no banco para Cliente Select Santander. Achei que era balela e nem me importei.
    Depois de alguns dias  um Gerente entrou em contato. Atendimento é outro nível hein? Linhas de créditos ótimas, absurdas mesmo. Explicações sobre diversas coisas, papo personalizadíssimo, perguntou de ações, perguntou quais eu tinha, fez uma rápida explicação sobre cada papel meu e tendências futuras e me convidou para ir naquelas agências chiques, mas nem vou, deixa só para os ricos de verdade mesmo.

    Com as linhas de créditos que ele me explicou, dá vontade de refinanciar a casa (juros de 6~7% ao ano) e socar tudo em ações hahahaha

    Também recebi um daqueles cartões pretos de pobre metido a rico, como gasto mais de 5000 por mês no cartão, não vou pagar nada de anuidade (centralizo todos os gastos no cartão).





    Paciência, foco e fé.


    Abraços e até a próxima.

    quinta-feira, 6 de setembro de 2018

    Atualização Mensal: Agosto 2018: R$ 583.842,87 (+ R$ 5.000,00) e -25.000,00 Dívidas

    Olá, Finansfera

    Fechamento do mês de agosto. Como sabem, viajei e adquiri um imóvel novo, o qual já reformei inteiro.

    Felizmente, já comprei todos os eletrônicos e eletrodomésticos novos, além de itens como cama, sofá etc então segue tudo nos conformes.

    Específico da viagem, foi extremamente gratificante acompanhar a alegria do filho em ver coisas novas, explorar novos ambientes. 

    Comi absurdamente e gastei muito com comida. Foda-se.

    Consegui me controlar relativamente bem com assuntos de trabalho. Somente um dia eu precisei trabalhar, mas foi coisa de 3 horas na madrugada.

    Aliás, foi ridículo, coisa de workaholic.

    Fui dormir e sonhei que a concorrência soube que eu estava de férias, aproveitando a janela de oportunidade para engolir minha empresa, então acordei na madrugada para revisar algumas pendências que tinham etc

    Do mais, tudo caminhou bem, a empresa ficou viva com minha ausência. Foi ótimo para rever alguns pontos e principalmente ver qual o nível de dependência da empresa para com minha pessoa, conseguindo visualizar mecanismos ou rotinas que me substituem.

    A preocupação maior é "blindar" minha família para o caso de eu falecer ou adoecer. Ou, em um ponto mais otimista, alcançar a IF e sumir pelo mundo enquanto a empresa continua girando e rendendo.

    Acabei revendo meu planejamento anterior e decidi modificar minhas metas novamente. Em decorrência de minhas dívidas e meu plano de me livrar de todas as contas de uma vez por todas, aqui englobando dívidas trabalhistas, de terceiros e desse próprio imóvel, optei em guardar R$ 5.000,00 por mês em renda variável e direcionar 20 a 25 mil por mês para abater a dívida até o mês de dezembro.

    Com isso, já serão 100.000,00 a menos na conta devedora.

    Em janeiro vou revisar novamente a meta e decido se mantenho o cronograma de quitação com o dinheiro novo, se aporto pesado em Renda Variável ou se uso o dinheiro na Renda Fixa e já quito tudo logo, direcionando todo o dinheiro novo só para a Renda Variável.

    Está me incomodando o montante e estou pensando em quitar tudo em janeiro com o dinheiro da renda fixa, aí aporto tudo, o máximo que puder só na renda variável em 2019.

    Deixa rolar.

    Portanto, a meta pessoal para 2018 foi modificada para R$ 600.000,00 em ativos financeiros e encerrar com R$ 280.000,00 de dívidas.


    APORTES

    Aportes Renda Fixa: R$ 0,00
    Aportes Renda Variável: R$ 5.000,00
    Aportes totais: R$ 5.000,00
    Rendimento: + 0,31%
    Fechamento: R$ 583.842,87




    INCREMENTO PASSIVO E RENDA PASSIVA


    Considerando a diferença da evolução patrimonial com o aporte realizado, tive um ganho de R$ 1.818,93.

    Esse mês recebi R$ 608,12 de renda passiva (FII e Ações, não são computados juros etc da renda fixa), sendo:

    - R$ 312,81 de dividendos e JSCP
    - R$ 295,31 de rendimentos dos FII




    OPERAÇÕES REALIZADAS 


    Comprei R$ 5.564,52 em ações e FII:



    COMPRAS AÇÕES



    • 100 ODPV3


      COMPRAS FIIs

      • 90 ABCP11
      • 1 PQDP11



      Como sempre, os valores acima estão com custos de liquidação, emolumentos e corretagem.


      COMPOSIÇÃO DOS INVESTIMENTOS (RF e RV): 


      Ignorando a renda fixa, e analisando a carteira de ações isoladamente, esse mês tive uma rentabilidade negativa de 0,19% nos papéis que compõem a carteira

      Na proporção, ficou  79/21 entre RF e RV:






      CARTEIRA AÇÕES:



      CARTEIRA FIIs:




      VALORIZAÇÃO INDIVIDUAL DOS PAPÉIS:



      A título de curiosidade, até a presente data, em relação ao meu preço médio, os papéis flutuaram conforme segue:



      DÍVIDAS ATUAIS

      - R$ 355.350,00




      Paciência, foco e fé.


      Abraços e até a próxima.

      quarta-feira, 1 de agosto de 2018

      Atualização Mensal: Julho 2018: R$ 577.023,94 (+ R$ 35.000,00) e Dívidas

      Olá, ilustres da Finansfera.
      Mais um fechamento mensal, um a menos rumo à IF.

      Mês de julho triste, em decorrência da perda de nosso estimado amigo VDC. Deixei minhas percepções em sua página e, novamente, renovo minhas condolências à família.

      Refiz alguns planejamentos e rotinas, querendo focar menos no dinheiro em si e mais na vida. As coisas estão fluindo, o que me deixa preocupado, pois sempre que tudo está dando certo, fico com uma sensação ruim, esperando a merda acontecer.

      Em decorrência de N fatores e erros do passado, além de aquisições recentes, apesar da minha receita alta fruto de muito suor, sacrifício de parte da minha vida e com consequências à saúde, possuo algumas dívidas.

      Não quitei elas antes, pois negociando, acertando e reorganizando, consegui congelar correções e juros ou possuem juros baixíssimos, como 3 ~5% ao ano. Então preferi fazer uma reserva, levantar meu patrimônio financeiro, re-educar meu cérebro, situações essas que fiz nos últimos anos.

      Desta forma, querendo paz, criei o cronograma de quitação das dívidas, que espero seguir à risca.

      A natureza dessa dívida é mista, isto é, referem-se a débitos trabalhistas que estava aguardando audiências e fechamento de acordos, além de imóvel adquirido recentemente, que mencionei em postagens anteriores. 

      Tenho, também, uma dívida moral com uma pessoa que me auxiliou na vida, então o local que resido atualmente, que ainda não está quitado, será quitado por mim e doado para essa pessoa com tudo que tem dentro, implicando que terei mais custos com aquisições de eletrônicos e móveis. Felizmente, tenho total prazer nessa decisão, pois estou ajudando hoje uma pessoa que me estendeu a mão no passado.

      Afinal, o mundo é redondo e dá voltas, hoje estamos por cima, mas amanhã posso estar por baixo.

      O maior patrimônio do ser humano não é o financeiro, mas sim a rede de pessoas confiáveis e honestas que consegue agregar em seu círculo.

      Portanto, com alguns ajustes, tenho, atualmente, R$ 380.000,00 para desembolsar.


      CRONOGRAMA


      Minha meta pessoal para 2018 é atingir R$ 650.000,00 em recursos financeiros disponíveis. Considerando o fechamento de julho, preciso aportar R$ 15.000,00 de agosto a dezembro para atingir essa meta.

      Não sei o dia de amanhã, mas baseado na tendência e histórico, acredito que conseguirei esse aporte. Desta forma, o excedente será alocado para pagamento do débito.

      Vou considerar um aporte médio de R$ 25.000,00; então vou abater R$ 10.000,00 mensal da dívida até dezembro de 2018, perfazendo o montante de R$ 50.000,00 (que serão pulverizados entre os acordos trabalhistas que parcelei até dezembro, as compras dos móveis/eletrônicos e quitação dos imóveis).

      Em janeiro, a depender da situação e andar da carruagem, vou revisar as metas e defino um novo percentual. 

      Queria, pessoalmente, atingir R$ 1.000.000,00 ate dezembro de 2019 e, ao mesmo tempo, quitar todas as dívidas. Para esse objetivo, precisaria de R$ 47.000,00 mensal. Receita líquida que acredito não conseguir em um curto espaço de tempo.

      Portanto, algo mais crível, mas que mesmo assim estaria excelente, seria atingir a marca de R$ 800.000,00 em 2019 ao mesmo tempo quitar 80% do débito (se algum passado do fantasma não voltar para me assombrar).

      Voltando ao fechamento.


      APORTES

      Aportes Renda Fixa: R$ 30.000,00
      Aportes Renda Variável: R$ 5.000,00
      Aportes totais: R$ 35.000,00
      Rendimento: + 1,44%
      Fechamento: R$ 577.023,94


      Aportei menos dinheiro novo na RV porque comecei a tirar dinheiro de uma outra aplicação em RF para transpor na RV.

































      INCREMENTO PASSIVO E RENDA PASSIVA


      Considerando a diferença da evolução patrimonial com o aporte realizado, tive um ganho de R$ 8.202,55.

      Esse mês recebi:

      - R$ 65,60 de dividendos e JSCP
      - R$ 94,59 de rendimentos dos FII 





      OPERAÇÕES REALIZADAS 


      Comprei R$ 30.257,96 em ações e FII:



      COMPRAS AÇÕES


      • 100 EGIE3
      • 100 EZTC3
      • 100 FLRY3
      • 100 WEGE3
      • 100 ABEV3


        COMPRAS FIIs

        • 500 ABCP11
        • 40 BBPO11
        • 10 MFII11
        • 40 VISC11
        • 15 HGBS11

        Como sempre, os valores acima estão com custos de liquidação, emolumentos e corretagem.

        Acabei comprando MFII11, apesar de ciente dos riscos, minha ideia era ter 1 ~2% do patrimônio de FII nele. Depois do ocorrido e difundido em diversos locais, já coloquei em quarentena e largo lá agora, independente se fechar, retornar, afundar, virar pó ou voltar com tudo.

        Sigo tranquilo, pois a carteira é diversificada e o montante nesse FII não representa nada do patrimônio.


        COMPOSIÇÃO DOS INVESTIMENTOS (RF e RV): 


        Ignorando a renda fixa, e analisando a carteira de ações isoladamente, esse mês tive uma rentabilidade positiva de 5,72% nos papéis que compõem a carteira. 

        Chegou a alcançar mais de 9%, mas deu uma caída na última semana. Na proporção, ficou  79/21 entre RF e RV:





        CARTEIRA AÇÕES:




        CARTEIRA FIIs:






        VALORIZAÇÃO INDIVIDUAL DOS PAPÉIS:




        A título de curiosidade, até a presente data, em relação ao meu preço médio, os papéis flutuaram conforme segue:





        DÍVIDAS ATUAIS


        - R$ 380.000,00






        Continuo trabalhando para aumentar a receita, fazer o bem e manter a sanidade mental.

        Paciência, foco e fé.



        Abraços e até a próxima.