quarta-feira, 1 de abril de 2020

Fechamento dezembro + 1º Trimestre



Olá, Finansfera

Em dezembro estava correndo com um monte de coisas, como aquisição de imóveis, venda de outras coisas, transferência, em janeiro começou reformas e eu estava focado na minha empresa, conquistar clientes, crescer, erguer, me solidificar.

Esse seria O ano.

Mas depois desse período, nem preciso falar mais nada né. Que situação é essa, meus amigos? Nunca imaginei. Nem vou entrar no mérito político ou da situação toda, pois já discuti com um monte de pessoas sobre o assunto, todas as pessoas com excesso de preocupação etc e eu tenho uma visão estatística da coisa toda, mas não vem ao caso.

Vim fazer a postagem não pelo lado financeiro, mas porque em dezembro e janeiro estava corrido e acabei esquecendo, quando vi já tinha passado o momento, em fevereiro bateu de vez o alerta e meu foco mudou completamente. Então a postagem é mais de satisfação.

Comecei a me antecipar o que podia antes das coisas chegarem onde estão. Estou presenciando pessoas "sólidas psicologicamente" totalmente destruídas.

Um colega vai perder mais de 6 milhões de reais que investiu em 2019 em um outro país e iniciaria a operação, ironicamente, agora em março de 2020. Despesas de manutenção altíssima.

Da mesma forma, solidarizo-me aqui com a situação relatada pelo colega Frugal Simples em ter sua loja fechada nesse período. Não é fácil, mas o fato do prédio ser próprio ajudará bastante, torço fortemente por ele.

---

Eu continuo seguindo a vida, minha atividade entra na exceção da legislação de quarentena e minha equipe já há tempos trabalha em home office, mas com certeza serei afetado a partir de abril. Acredito que virá inadimplência, pedidos de redução de valores, entre outras coisas.

Como nunca passei quedas brutas, e acho que ninguém da finansfera, eu não estou com estômago para injetar dinheiro na renda variável, não pelas quedas em si, mas porque não sei até quando vai tudo isso para ver se precisarei de dinheiro nas minhas atividades ou não.

Óbvio, o certo é que "é hora de comprar", "deve aproveitar as ofertas", mas eu não sou vidente e não sei até quando vai essa situação e muito menos quais as consequências reais no meu negócio.

Estou tentando equacionar o "quanto" comprar de RV e quanto guardar na RF. Acho que permanecerei devagar e comprando pouco.

Então tomei duas medidas no final de janeiro, logo quando soube que seria aprovada a lei federal que autorizaria medidas de quarentena e outras situações no Brasil, a qual foi publicada no início de fevereiro, principalmente frente ao dinheiro que gastei com aquisição do imóvel de minha irmã, transferência e reformas:

1) quitei absolutamente todas as minhas dívidas;

2)  investimentos foram direcionados para a renda fixa.

Sem dívidas, consigo ter preocupações direcionadas na saúde do meu negócio e se tudo quebrar uma hora, fico com a reserva e com a certeza de que só tenho que garantir o básico, como comida, água, luz e internet; com dinheiro na renda fixa, fico com fôlego para sobreviver até quando for necessário. Afinal, os reflexos econômicos serão sentidos por quantos meses ou anos? De que forma meus clientes serão impactados? De que forma me impactará?

Enfim, são dezenas de questionamentos com respostas impossíveis.

---

Em contrapartida a essas providências, mas que fiquei sem jeito e precisei ajudar uma pessoa, acabei fazendo uma besteira que é uma boa ação (aquele auto-convencimento para fazer cagada):

1) O dono da empresa vizinha a minha pegou como pagamento de serviços no final de 2019 um carro de luxo já bem desvalorizado e de difícil mercado, pelo contexto e outras situações, ficou sem fluxo de caixa para os funcionários e ia falir, situação ainda mais agravada em fevereiro para março. Acabei pegando o carro dele por um preço ótimo. Nem quis o dinheiro inteiro, pediu para eu pagar a folha de pagamento dele de março, abril e maio em troca de ele conseguir fôlego para sustentar o negócio por mais alguns meses até esse período passar... já deixei o dinheiro separado para isso e segue o barco.

Como o carro já passou todas as curvas de desvalorização, não é absurdo o custo de compra dele, só a manutenção que é bem cara, vou acabar curtindo o carro uns meses, pensei em ir para Interlagos correr no fim do ano, e depois vender, estou com uma máquina de corrida com mais de 600 cavalos.

Mesmo vendendo, ainda recupero o dinheiro e mais um pouco, enfim... cagada feita e paciência. Pelo menos garanti a sobrevivência do colega por alguns meses e tenho bastante margem de preço para negociar ou vender.


2) Da boa ação... um colega iniciou um food truck no início desse ano, e como timing perfeito, foi engolido pela destruição de suas vendas nesse período, já que delivery é difícil, tem que ser conhecido e tem custo alto. Acabei enviando um dinheiro para sustentar o negócio dele por um tempo...

Troquei em comida, e caso ele sobreviva, tenho um lanche fora de casa por quinzena por pelo menos meia década ou mais. Faz parte.

3) Meu cunhado precisou de dinheiro, foi enviado também...

---

Específico ao fechamento, segue tabela e números:



Tabela só com a renda variável 2019/2020:




APORTES DEZEMBRO: R$ 43.361,89

Aportes Renda Variável: R$ 0,00
Aportes Renda Fixa: 43.361,89
Rendimento: +4,79%
Rendimento Renda Variável: +8,81%

Fechamento: R$ 1.269.208,23


APORTES JANEIRO 2020: 0,00 (retiradas)

Todas as dívidas quitadas!!! Como ao longo de 2019 fui abatendo, não faltava muito aqui, usei um dinheiro que sobrou de vendas de terrenos passada etc e não computado no blog, o dinheiro que ia para o aporte da RV, uma grana de reserva de emergência não computada separei para o carro e ainda peguei 70 mil da grana que estava em renda fixa. Foi uma sábia decisão.

Aportes Renda Variável: R$ 0,00
Aportes Renda Fixa: -70.187,07
Rendimento: -0,51%
Rendimento Renda Variável: -0,89%

Fechamento: R$ 1.192.965,14



APORTES FEVEREIRO 2020: R$ 51.197,42

Já me assustou como aportei um monte e o fechamento nem se mexeu.

Aportes Renda Variável: R$ 20.000,00
Aportes Renda Fixa: 31.197,42
Rendimento: -3,95%
Rendimento Renda Variável: -6,81%

Fechamento: R$ 1.195.038,13




APORTES MARÇO 2020: R$ 58.927,39

Aportei praticamente 100 mil em dois meses e meu patrimônio caiu quase 100 mil.

Aportes Renda Variável: 0,00
Aportes Renda Fixa: 58.927,39
Rendimento: -11,14
Rendimento Renda Variável: -20,72%

Fechamento: R$ 1.114.281,97


=======================


RENDA PASSIVA - GRÁFICO :




Minha dúvida maior é: devo comprar ações igual um louco? Ou de fato guardar na renda fixa, afinal, até quando será que tudo vai? 

Estou bem cauteloso.

Agora em abril decido, talvez fazer meio a meio. Se eu não comprar, vou me arrepender; se eu comprar e precisar do dinheiro por algum motivo, vou me arrepender.

Talvez eu perca o momento de comprar "com desconto", mas por outro lado, consigo manter o negócio girando e garantir aportes futuros.

Ainda, chamou a atenção que meus aportes aumentaram, confesso que não esperava, mas é normal em início de ano, pois muitos inadimplentes do ano anterior acaba acertando os pagamentos.

Estou com quase 600 mil na renda fixa, se a empresa não aguentar, não vou pensar duas vezes em injetar esse dinheiro nela, afinal, essa grana foi fruto do negócio.

Desejo boa sorte e proteção a todos vocês e seus familiares.

Nosso foco agora deve ser: a saúde e manutenção de nossa sobrevivência, seja psicológica ou financeira.






quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

Atualização Mensal: Novembro 2019: R$ 1.167.851,66

Olá, Finansfera

Post rápido só para manter o fechamento, não estou com foco para escrever esses dias, depois atualizo com as imagens de sempre. 

Continuo abatendo as dívidas, sigo no cronograma de até abril estar sem qualquer dívida e tentar atingir 1.250.000,00

Sigam a meta de vocês, aportem forte e se sacrifiquem até o primeiro 100.000,00, depois criem um cronograma de investimentos pautados no equilíbrio e bom senso, definindo % de aportes mais ponderado, não cometam os erros que cometi.

Aproveitem a família / amigos.
Passeiem.
Batam fotos de recordações.
Cuidem da saúde.
Não tenham pressa.


APORTES 

Aportes Renda Variável: R$ 5.000,00
Aportes Renda Fixa: 17.850,07
Rendimento: +2,08%
Rendimento Renda Variável: +3,71%

Fechamento: R$ 1.167.851,66

Renda Passiva só da RV 1.699,79, sendo:

De ações: 328,79
De Fiis: 1.371,00



Um grande abraço a todos.

sexta-feira, 8 de novembro de 2019

Atualização Mensal: Outubro 2019: R$ 1.121.182.49



Olá, Finansfera

Fechando outubro, investimentos seguindo a onda da bolsa. Na linha das postagens anteriores, aporte menor, já focado em eliminar dívidas, ajudar outras pessoas e remontar minha reserva de emergência (normalmente deixo 50 a 100 mil de reserva com liquidez imediata D+0). 

Até março ou abril, devo abater 100% de toda a dívida existente, então acredito que nesse momento terei atingido a Tranquilidade Financeira.

Tal como mencionado em outras passagens, o foco permanece em Renda Variável e sem prazo, com objetivo de incrementar os dividendos.

Como já tenho imóveis, carros e só falta liquidar as dívidas, já estou caminhando para um caminho de semi tranquilidade. Isto é, o dinheiro vai 


APORTES RENDA VARIÁVEL

Aportes Renda Variável: R$ 10.000,00
Rendimento: +5,08%
Fechamento: R$ 625.139,15





EDIÇÃO após postagem: Agora que estou vendo a diferença de valor na coluna de aportes, provavelmente ao digitar algo em algum fundo de renda fixa esqueci de por algum valor ou comi alguma vírgula. Como já fiz toda a postagem, não vou alterar, senão teria que mudar todas as imagens etc. Vou deixar a diferença como "resgate" e jogar para a reserva de emergência, acho que fica mais fácil.

Variação histórica da renda variável:





INCREMENTO PASSIVO E RENDA PASSIVA


Considerando a diferença da evolução patrimonial com o aporte realizado, tive incremento de R$ 30.344,63. Acumulando 118.215,52 em 2019!! 






Esse mês recebi 2.360,59 de renda passiva ( não são computados juros etc da renda fixa). Meu recorde em renda passiva.



(Valores podem ter divergência por conta da cotação e eu ter pego os dados abaixo em momento distinto da hora do fechamento).

Segue quadro acompanhando valor investido e renda passiva

Ações: Valor em ações
RP Ações: Renda Passiva de Ações
FII: Valor em FIIs
RP FII: Renda Passiva em FIIs

Os valores passados de ações e FII vou compilando com o tempo, pois eu não tenho os dados separadamente, sempre somava tudo num bolo só. Mas vou levantar pelo CEI depois e atualizar nos próximos posts.

A ideia da tabela é para que o leitor possa ter uma noção de "quanto tal montante em ações ou FII produziu de renda passiva".
Obviamente, isso varia do tempo, do preço pago etc mas dá para ter uma noção geral e era uma dúvida que eu sempre buscava nos outros blogs: "Quanto 100 mil investidos me renderia mais ou menos?" "E 300 mil?" "e tanto em ações e tanto em fii?".




Ações:
10/2019 -  354.429,41 - 945,22

FII: 
10/2019 -  279.426,56 - 1415,37



OPERAÇÕES REALIZADAS

Comprei R$12.844, 42 em ações e FII (aporte + dinheiro da corretora). 


COMPRAS AÇÕES


  • 100 ENBR3
  • 100 SBSP3

    COMPRAS FIIs

    • 32 FFCI11

    Como sempre, os valores acima estão com custos de liquidação, emolumentos e corretagem.


    Um grande abraço a todos.

    segunda-feira, 28 de outubro de 2019

    Minha carteira atualizada



    Olá, Finansfera

    Tive um problema de saúde esse mês, acabei refletindo várias coisas. Pensei que minha hora havia chegado. No momento da dor no peito e braços formigando e sem forças, pensei na família e não pude deixar de pensar no ocorrido com o Viver de Construção em julho do ano passado.

    Dois meses atrás, bati o primeiro milhão, agora quase bati as botas. Felizmente, tudo dentro do tempo de socorrer sem quaisquer consequências.

    Decidi ignorar o financeiro daqui para a frente. Já possuo casa, já tenho carro, despesas controladas. 
    Pensei muito no que me estressa, e, obviamente, é a rotina e alguns concorrentes. Vou deixar o barco rumar sem maiores preocupações. 

    Vou juntando mais por enquanto e explorar meu nicho até concorrência prostituir o mercado, já pensando em formas de reduzir o ritmo e se um dia tudo se fechar, não vou me preocupar, já conquistei meu patrimônio, aliado a um custo de vida baixo, então consigo seguir tranquilamente.

    Em novembro exames, checkups e recomeçar atividade física. Finalmente, já que a água bateu na bunda.

    Tal como havia comentado na postagem do fechamento de Setembro, passo a dar mais foco à Renda Variável, ignorando o que possuo em outras modalidades como Fundos de bancão, poupança, aplicações separadas de conta sonho, reserva de emergência etc

    Assim me desligo do financeiro de modo geral e atenderá melhor meus objetivos, que é a renda passiva obtida de aplicações de renda variável.

    Quase 3 anos atrás, quando estava estudando as ações que comporiam minha carteira, fiz alguns levantamentos e análises simplificadas. A título ilustrativo: postagem de 01/2017 e de 03/2017.

    Passado esse tempo, amadureci bastante em termos de investimentos na bolsa, consegui manter tranquilidade em algumas quedas, consegui ignorar oscilações sem que isso afetasse meu humor.

    Enfim.

    Minha estratégia, acertada ou errada, é de aposentadoria. E, sendo assim, sigo a filosofia Bastteriana de "Preço não Importa", tão criticada por muitos que fazem Valuation.

    Acredito, realmente, que o Valuation é de extrema valia e com isso conseguirá "acertar" melhor os momentos de entrada (e saída para os SwingTraders). Mas depois de muito pensar, analisar, percebi que meu foco é completamente distinto.

    Quero apenas escolher boas empresas e continuar comprando mês a mês, sem ficar preocupado com "valor patrimonial real", P/VPA, P/L, EV/EBITDA entre inúmeros outros indicadores. 

    Por que?

    Sempre sigo em minha vida o minimalismo, o menos é mais, simplicidade, celeridade. 

    Acaso eu fosse "comprar" percentuais consideráveis de uma empresa, assim como Warren Buffet faz, com certeza a análise de todos esses indicadores seria necessária. Contudo, perdemos horas e horas com análises fundamentalistas mais complexas para, no fim, comprar R$ 100,00; R$ 1.000,00 ou R$ 10.000,00.

    Valores completamente insignificantes ao mercado.

    Assim, considerei ser muito mais proveitoso "escolher" as ações iniciais, seguir comprando elas mês a mês e conforme o caso, trimestralmente /  anualmente, reavaliar os balanços das empresas, focando em aumentar a participação nas empresas, como sócio, sem preocupação de "está caro" ou "está barato".

    Considerei que sou insignificante e burro.

    Partindo dessa premissa, ficou muito mais fácil e tranquilo acreditar, confiar e comprar ações.

    A estratégia para se blindar de minha burrice e do mercado, portanto, foi diversificar. Caso eu tenha R$ 1.000.000,00 distribuído em 40 ativos, cada um terá um peso de 2,5%. Situação bem tranquila, ainda mais considerando a diversidade entre os próprios ativos e classes (ações e FII).

    Para exemplificar, no dia 25/10/2019 a ABEV3 caiu quase 10% e eu só fiquei sabendo pois um colega me disse no sábado. Fui verificar de curiosidade e minhas ações haviam subido, mesmo com a queda expressiva da AMBEV. Acaso estivesse centralizado, com certeza o impacto psicológico seria danoso.

    Sendo assim, minha estratégia, nesses anos, foi pautada em diversificar (ações e FII) e dentro de cada grupo possuir ativos de boa qualidade, sem preocupação com quantidades.

    É bom? Compro. 
    Ficou ruim? Adiciono em quarentena e paro de comprar, mas também não vendo.

     Para o meu caso e em minha opinião, cheguei às seguintes conclusões:

    - a diversificação me protege;
    - diversificado fico mais tranquilo frente à catástrofes, crises, imprevistos, fim do mundo;
    - com poucos ativos, ganho em valorizações mais curtas, mas perco segurança;
    - com vários ativos, ganho segurança e tenho a chance de acertar uma Tenbagger;
    - se ficar ruim, paro de comprar e não vendo, deixa lá virar pó ou a empresa recuperar.

    Com isso, me blindo da minha própria burrice, medos e inseguranças. Afinal, como saber que o ativo ficou ruim? Cielo, por exemplo, caiu de R$ 35,00 para R$ 7,00. Deveria ter vendido? E se valorizar? Mas a empresa continua boa? Vender e recomprar? Mas quando será essa hora? Ficar gerando guia de impostos? Perda de tempo em acompanhar preço etc?

    Na linha da análise simplista, vejo o panorama geral e o resto sigo o rumo.

    Caso um dia eu me torne um tubarão, com aquisições relevantes de uma tacada só, aí sim esses indicadores, para mim, farão sentido (mas sou realista, e acredito que nunca acontecerá essa situação).

    Admiro aqueles que fazem todas essas ponderações antes das compras, mas o tempo que eu levaria consigo direcionar para outras coisas.

    Nessa linha, segue minha carteira atualizada:



    VALOR EM AÇÕES: R$ 346.644,68



    COMPRANDO (21 ativos)


    • ABEV3
    • ARZZ3
    • B3SA3
    • BBDC3
    • CIEL3
    • EGIE3
    • ENBR3
    • EZTC3
    • FLRY3
    • GRND3
    • HGTX3
    • HYPE3
    • ITUB3
    • LREN3
    • MDIA3
    • MGLU3
    • ODPV3
    • PSSA3
    • RADL3
    • SBSP3
    • WEGE3


    EM QUARENTENA (2 ativos)




    • PARD3
    • PTBL3


    SEPARADAS PARA ESTUDO (2 ativos)




    • LEVE3
    • IRBR3

    VALOR EM FII: R$ 276.464,25

    COMPRANDO (12 ativos)

    • ABCP11
    • BBPO11
    • FFCI11
    • FIIB11
    • FIIP11B
    • GGRC11
    • HGBS11
    • HGLG11
    • HGRE11
    • KNRI11
    • PQDP11
    • VISC11


    EM QUARENTENA (1 ativo)




    • MFII11


    SEPARADAS PARA ESTUDO (4 ativos)




    • JSRE11
    • KNCR11
    • RBVA11
    • XPML11

    Com as ações em compra (21 ativos) e os FII (12 ativos) totalizo 33 aquisições, sendo que outras estão em análise para eventual compras, sem qualquer impedimento de acrescentar outras.


    RENDA PASSIVA




    Vou começar a fazer acompanhamento separado de cada modalidade desse mês em diante. Assim, referente a setembro (dados do CEI), temos:

    Ações:
    09/2019 -  317.246,05 - 594,16

    FII: 
    09/2019 -  272.766,84 - 1.316,28


    Agora vou ver se faço as postagens dos trimestrais elucidando minha linha de raciocínio acerca dessas empresas.

    Abraços e até a próxima.